bicicletas compartilhadas Curitiba

Atualmente, os sistemas de bicicletas compartilhadas estão amplamente popularizados, podendo ser encontrado em mais de 400 cidades ao redor do mundo, incluindo importantes centros de urbanização, tais como Paris, Londres; Washington D.C., Estados Unidos; e, São Paulo, Brasil. A lista de cidades que possuem o sistema é enorme, visto os inúmeros benefícios que o sistema pode trazer: redução do congestionamento, melhora na qualidade do ar de forma a não emitir poluentes, fornecimento de serviços complementares ao transporte público, favorecimento à saúde da sociedade, além do aprimoramento da imagem pública da cidade.

Curitiba, sendo uma das mais importantes cidades sustentáveis do Brasil, não teria como deixar de utilizar tal sistema. O consórcio Bike Fácil, apresentou no último dia 29, um protótipo dos veículos e dos paraciclos – Instalação física de armazenamento das bicicletas – sugeridos para a implantação na capital paranaense. O consórcio realizou uma parceria com a empresa hispânica Ride On, do mesmo criador que a organização Bonopark, a qual administra o sistema de compartilhamento de bicicletas em Madrid, na Espanha.

A proposta é que se tenha 480 bicicletas e 43 estações divididas em pequeno, médio e grande porte, distribuídas pela cidade. Caso a empresa venha a ganhar a licitação a qual participam, a previsão é de que as bicicletas já estejam circulando a partir de Janeiro de 2017, sendo instalado o primeiro lote com 25 estações e 280 bicicletas nos primeiros 75 dias. Além disso, todas as estações de troca possuirão pontos de Wi-fi gratuitos para facilitar os empréstimos via aplicativo em Smartphones.

Quanto às tarifas, a empresa Bike Fácil pretende cobrar R$ 5 pela tarifa diária, R$ 12 pela tarifa mensal e R$ 54 pela tarifa semestral. No entanto, durante o período contratado, o usuário poderá utilizar a bicicleta alugada por 45 minutos e terá de esperar mais 15 minutos para podê-la emprestar novamente. A ideia nesse caso é a de incentivar a rotatividade das bicicletas, tendo a certeza de que sempre haverão meios de transportes disponíveis aos outros usuários. Caso houver algum atraso nos 45 minutos, haverá taxas adicionais com um valor entre R$2 e R$2,5 para cada 15 minutos ultrapassados.

Um dos fatores que mais chamam a atenção, é que as bicicletas compartilhadas terão um suporte devido para o encaixe de baterias, de tal forma a transformar a bicicleta convencional em uma bicicleta híbrida. A ideia inicial é de que cada usuário possua o seu próprio sistema e o acople no meio de locomoção quando for utilizado, como o sistema add-e. Caso a empresa for homologada, a Bike Fácil terá os direitos de implantação, operação, manutenção e monitoramento do serviço integrado de bicicletas públicas em Curitiba durante os próximos cinco anos.

Recommended Posts